quarta-feira, 29 de outubro de 2014

More Than Friends - 98º Capítulo + Melissa's POV

Talvez ainda estivesse sonhando ao sentir algo esquisito e úmido no meu rosto. Minha bochecha parecia estar alagando e eu percebi um movimento ritmado nela.
Levantei meu braço até meu rosto e passei a mão, sentindo algo melado.
- Muito bonito, parceiro, mas a garota ainda é minha. - escutei Harry dizer próximo a mim.
- Ciúmes até dessa peste, Harry? - Gemma disse e espirrou.
- Ela acordou ou não? - Hilary perguntou.
- Mel? - Matt perguntou.
- Oi. - respondi rouco e baixo, sem abrir os olhos.
- Abre os olhos, guria. - Gemma disse e eu fiz esforço para sentar.
Minha cabeça parecia explodir, contudo comecei a abrir meus olhos que demoraram para se acostumar com a luminosidade.
- Feliz Natal. - Harry disse e colocou uma coisa meio dourada na cama.
Fechei os olhos novamente e abri-os, tentando eliminar a visão embaçada.
- Não consigo enxergar nada. - falei e fechei os olhos novamente.
- Tá tudo bem com você? - Matt perguntou.
Quando abri os olhos novamente, enxergava perfeitamente. Ou quase isso.
A coisa dourada, na verdade, era um cachorro serelepe que estava correndo em círculos em cima da cama.
- Que fofo! - exclamei e o peguei no colo. - Qual o nome dele?
- Bom, é seu então você escolhe. - Harry disse sorrindo.
- Meu?! Eu não sei nomear nada.
- Você nomeou até o seu celular. - Gemma disse.
- Você é muito fofinho, sabia? - perguntei usando uma voz forçada com o meu pequeno no colo e ele abanou o pequeno rabo cheio de pelo.
Ele soltou um latido fino.
- O que você acha de Apolo? É um nome lindo igual você. - sorri e ele abanou o rabo ainda mais. - Então você é o meu Apolo. - abracei-o.
- Alguém está perdendo a namorada para o cachorro. - Matt brincou.
- Qual é a idade dele?
- Três meses. - Harry respondeu.
- Raça?
- Spitz Alemão, popularmente conhecido como Lulu da Pomerânia.
- Trabalho feito aqui. Bom dia, pombinhos. - Gemma sorriu e se retirou com Hilary e Matt.
- Gostou? - Harry perguntou sorrindo.
- É a criaturinha mais fofa de todos os tempos.
Levantei e o Apolo ficou pulando ao meu redor.
- Vai se acostumando, ele não cansa nunca. - Harry disse e eu ri.
Fui até o banheiro e antes que pudesse fechar a porta, Apolo já estava lá dentro, apoiado na alça da gaveta, balançando o rabo.
- Meu amorzinho, você não pode ficar aqui. - falei com a voz afetada.
- Esse cachorro para obedecer ordens é como Napoleão para conquistar a Inglaterra.
- Qual a relação? E por que vocês britânicos sempre falam de Napoleão nas comparações? Vocês são britânicos!
- Sei lá. Só sei que esse cachorro para obedecer ordens e Napoleão para conquistar a Inglaterra são coisas impossíveis de acontecer.
Ri fraco e peguei Apolo no colo.
- Você vai ficar com ele.
Entreguei-o a Harry e o cachorro fez um som parecido com um lamento por ter saído dos meus braços.
- Ele não é tão ruim assim. - falei, sorrindo. - Cuida bem do meu amor. - falei e sorri pela ambiguidade.
Voltei para o banheiro, fiz minha higiene matinal e tomei um banho rápido.
Passei pelo quarto para ir até o closet e Harry estava de frente para seu notebook, na cama.
- Cade o Apolo?
- Daisy e Phoebe roubaram.
Sorri; eles devem estar virando a casa de cabeça para baixo.
Entrei no closet e peguei uma calça jeans escura do Harry, uma regata branca minha, um casaco bege da GAP e meu All Star branco que eu não via a um bom tempo.
Voltei ao quarto e o Harry estava do mesmo jeito, vidrado na tela do eletrônico.
- Amor - chamei-o, tentando atrair sua atenção. -, vamos descer?
- Pode ir na frente, vou levar alguns minutos.
- Vamos agora. Você tem que abrir seu presente.
- Espera um pouco, linda.
- Tudo bem. Então eu já vou, estive pensando e achei melhor tomar café com o Chris. - falei propositalmente.
- Ok. - Harry disse, desligado. - Espera, o quê?
Fechou o computador para fazer contato visual.
- Você apela demais.
Levantou e veio em minha direção, consequentemente, na direção da porta.
- Você acha? - perguntei, sonsa, e ele balançou a cabeça negativamente. Puxou minha cintura para si e me beijou.
Entrelacei meus braços em seu pescoço.
Seu desejo estava claro nos beijos; ele queria mais que isso. Entretanto, eu ainda não vou ceder.
Deixei-o brincar um pouco mais, puxões aqui, mordidas lá, chupadas acolá. Quando ele estava para retirar meu casaco, eu fui parando.
- Vamos descer. - segurei sua mão e o puxei comigo.
- Isso é tortura.
- Não seja tão reclamão.
Descemos e apenas o Louis e a Els estavam na sala, assistiam Skins, deitados abraçados no sofá.
Eu e Harry fomos até a árvore de Natal, agora praticamente vazia e pegamos nossos presentes.
Ganhei uma caneca fofa da Gem; um blusão de Hogwarts, da Els; um kit com CD + DVD do One Direction, do Louis e sua tentativa falha de me fazer preferir 1D a The Wanted; um pijama fofíssimo e curtíssimo da Johannah; uma Polaroid da Anne e do Robin; uma capinha amável de Percy Jackson, das irmãs do Louis; os quatro livros de Maze Runner, do Des e da Erin.
Harry verificou também seus presentes, deixando o meu por último. O filho da mãe só fez isso para me deixar ansiosa.
- Agora o seu. - sorriu.
Ele desembrulhou o papel de presente de veludo preto, revelando um dos primeiros CDs do AC/DC, High Voltage, que ele deixou escapar uma vez que não conseguia achar.
- Você só pode estar de brincadeira! - exclamou, analisando os mínimos detalhes do CD. - Onde conseguiu isso?
Foi difícil, mas a internet me salvou. Veio da Rússia, demorou apenas duas semanas para chegar.
Em resposta, pisquei para ele.
- Cara, você é demais! - ele me puxou para um abraço de urso.
Tradução: fui esmagada.
- Você vai matar a guria assim, Styles. - Travis disse, surgindo do nada.
Harry me soltou e segurou meu rosto entre suas mãos.
- Você é demais. - sussurrou e iniciamos um beijo de esquimó.
- Menos pegação aí, vamos respeitar essa casa de família. - Kyle disse, também surgindo do nada.

[...]

- O que vamos fazer em Cambridge? - Harry perguntava insistente enquanto dirigia na estrada deserta.
- É surpresa!
- O que tem lá?
- Muitas coisas.
- Respostas objetivas, por favor! Eu mereço, após ter que aguentar aquele Chris. - passamos cerca de duas horas com o Chris, para ele demitir todos os seguranças, por telefone, e mudar seu chip.
- Você vai ser recompensado hoje.
Meu celular tocou, Taylor.

LIGAÇÃO ON
- Boa tarde, minha flor. - cantou.
- Eita, a noite foi boa. - brinquei.
- Vai te catar! Mas não só a noite foi boa, a manhã também. Seu irmão é sensacional.
- Sem detalhes. - pedi. - Você tá com ele ainda?
- Não, estou fazendo minhas malas, Mississipi me espera.
- E vocês?
- Foi só curtição mesmo. Nada sério.
- Ah, eu esqueci de agradecer! Amei meu presente de aniversário.
- Quê?
- Amei meu presente de aniversário.
- Eu não estou escutando. Onde você está?
- Indo para... - a chamada caiu antes que eu terminasse e meu celular se encontrava totalmente sem sinal.
LIGAÇÃO OFF

- Quem era?
- Taylor. Feliz da vida.
- Por quê?
- Não te contei? Ela e o Peter ficaram. Mais de uma vez.
- Nossa, que bola de neve.
- Por quê?
- Taylor, minha ex, é sua amiga e ficou com o meu cunhado, que é ex da amiga da Sophia, que é namorada do Liam e irmã da sua amiga, que queria ficar comigo.
- Uau. Você nunca deve ter pensado tanto. - brinquei.
- Idiota. - riu.
Ficamos em silêncio e o Harry começou a cantarolar uma música desconhecida por mim.
- Que música é?
- A Little Bit Of Your Heart, mas vamos fingir que você não escutou. Eu compus para o novo álbum da Ariana Grande. - fiz careta.
- Imagina se vaza. - comentei, rindo.
- Melissa! - Harry me repreendeu.
- Não está mais aqui quem falou.
- Estou com fome.
- Não faz nem duas horas que comemos.
- Não? Pois parece que eu comi há umas 20 horas.
- Exagerada sou eu. - ironizei. - A gente almoça em Cambridge.
Ficamos em silêncio novamente.
- Meu Deus! - Harry exclamou repentinamente. - Eu entendi! É claro!
- Entendeu o quê, meu amor? - perguntei, paciente.
- A piada do Justin!
Não me aguentei e tive um ataque de risos. Sem dúvidas, meu namorado é a pessoa mais lerda de todos os tempos.
- Como os neurônios de uma loira morrem? De solidão! - Harry refletiu e riu.
Peguei meu celular, aproveitando que tinha sinal e entrei no Twitter.

@Mel_Mikaelson: @jtimberlake @jessicabiel ele finalmente entendeu a piada. Sim, só agora.

Segundos depois, a Jessica respondeu:

@jessicabiel: @Mel_Mikaelson @jtimberlake eu sabia que ele tinha salvação! Parabéns, @Harry_Styles!

Retweetei, rindo.
- Já está me zoando, né?
- Não podia perder a oportunidade.
Ele riu fraco e colocou uma de suas mãos na minha perna.
- Harry, acelera. - pedi.
- Quê?
- Acelera. Nessa velocidade chegaremos em Cambridge só amanhã e olhe lá.
Acelerou um pouco.
- Ora você manda acelerar, ora manda reduzir. Se decida, mulher!
- Agora apenas acelere.
- Quando estivermos em Londres e você reclamar pedindo que eu reduza vou te ignorar. - revirei os olhos, mas não dei continuidade ao assunto.
- Amor, quando sua turnê começa? - perguntei e o clima mudou de descontraído para tenso.
- Vinte e cinco de abril.
- Legal. Vocês vão começar pela América do Sul, não é? - perguntei, tentando descontrair novamente.
- Sim, começaremos na Colômbia. Depois, Peru, Chile, Argentina, Uruguai e Brasil.
- Ansioso?
- Bastante. Nunca fui para a América do Sul.
- E depois você vem para a Europa?
- Sim. A primeira parte da turnê acaba dia 11 de maio, temos uma folga de uma semana e meia e os shows da Europa começam.
- Depois América do Norte e acabou?
- Sim, dia 5 de outubro.
- Vai ser uma turnê longa, não é?
- É, vai ser numa dimensão bem maior que as anteriores.
- Vocês têm muitas fãs na América do Sul, não é?
- Sim, posso até dizer que a maioria. Tivemos que abrir um dia no Brasil.
- Nossa, que legal. Eu estava conversando com o Nick e provavelmente vamos para o Brasil em junho e julho.
- Sério? Para quê?
- Copa do Mundo. Queremos ir em dois jogos. No jogo de abertura e a final.
- Você gosta de futebol? - perguntou, incrédulo.
- Ah, qual é! Quem não gosta de futebol?
- Todas as mulheres que eu conheço?!
- Mentira, eu sei que o Niall também gosta de futebol. - zoei o Niall e Harry riu fraco.
- Há exceções. Não sabia que você era tão fã de futebol a ponto de ir duas vezes para o Brasil apenas para assistir dois jogos.
- É a Copa do Mundo! Sabe-se lá o que eu vou estar fazendo em 2018, 2014 parece ideal.
- É, parece. Só vão vocês dois?
- Provavelmente. A Louise detesta futebol, a Jenna não quer, eu ia te chamar, mas você estará em turnê. Das meninas da sala, poucas gostam de futebol e as que gostam não teriam permissão. Eu pedi para o Nick não chamar mais nenhum menino.
- Por quê?
- Você quer que tenha outro homem além do Nicholas?
- Não.
- Então pronto.
- Mas como vocês vão fazer? Vão ficar em hotéis? Já compraram os ingressos e as passagens.
- O Nicholas falou sobre um hotel em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, mas agora não lembro. Os ingressos ainda não estão à venda, quando estiverem o Nicholas vai comprar. As passagens eu vou fechar com uma agência.
- E o seu irmão? O que disse?
- Nada demais.
- Ele deixou?
- Ah, ele falou que eu sou grande o suficiente para fazer o que eu quiser. Acho que você e o Niall contribuíram para que ele aceitasse que eu e a Jenna estamos crescendo.
- Por que você acha isso?
- Acho que por você e o Niall serem mais velhos, o Peter considera vocês responsáveis e acha que vocês nos ajudam a separar o que é bom e o que é mau.
- Que fardo. Basicamente se você fizer algo errado a culpa será minha?
- Não, a culpa ainda será minha. Você só me auxilia. Entender o Peter é complicado.
- E ele não gosta de futebol? Por que não vai?
- Ele gosta, mas não tá a fim de ir para outro continente só para ver um jogo. No caso, dois.
- Sei. E quem você acha que leva a taça esse ano?
- Brasil.
- Você é uma mal-agradecida. Os ingleses te receberam com muito amor e carinho, deveria torcer pela Inglaterra.
- Você perguntou quem eu acho que leva, não para quem estou torcendo.
- Para quem?
- Estados Unidos, claro, mas eles não têm chance. E você?
- Não sei. Futebol é neutro pra mim.
- Amor, assim parece que eu sou o homem da relação.
- E não é? - ri fraco.
- Idiota.
Passamos por uma placa indicando que havíamos chegado em Cambridge.
- Reduz, por favor.
- Reduz, acelera, reduz, acelera. - fez uma imitação péssima da minha voz.
- Você tem que entrar na próxima rua de terra.
- Melissa, você não vai me sequestrar, né? Porque rua de terra já é sacanagem.
- É, Harry, vou te sequestrar, por isso você está dirigindo. - revirei os olhos.
Harry entrou na estreita rua de terra.
- Mel, isso é alguma das suas fantasias sexuais? Transar na terra? - perguntou sério e eu só consegui rir.
- Harry, fica quieto, por favor. E vire na próxima à esquerda.
Harry obedeceu.
Havia um carro preto parado no lado esquerdo.
- Estaciona do lado desse carro.
- Sim, chefe.
- Como é obediente esse meu amor.
- É tão fofo você falar assim.
- Assim como? No imperativo?
- Não, quando você fala alguma coisa sarcástica ou metafórica e completa com "esse meu amor".
Descemos do carro e Harry me abraçou de lado.
Guiei-o até uma cerca alta de madeira e andamos ao seu lado até chegar no portão. Lá havia um arco grande dizendo "Grant Haras".
- Você me trouxe em um haras. O que vamos fazer aqui?
- Não sei, amor, dar comida às girafas talvez. - ironizei.
- Você tem um cavalo? - perguntou, surpreso, e eu assenti. - Você é muito rica! - revirei os olhos.
Yuri, o recepcionista de 18 anos, ficou maravilhado ao ver o Harry.
- Que isso não custe o meu emprego, mas eu poderia tirar uma foto com você?
Harry deu de ombros e o garoto pegou seu celular.
- Eu tiro. - falei e ele me entregou seu celular.
Bati a foto dos dois e entreguei o celular.
- Quanto tempo, Mel. Ficou famosa e esqueceu a Héstia.
- Não esqueci, estava louca para vê-la.
- Então vamos.
Eu e o Harry seguimos o Yuri, que nos deixou com a Héstia, perguntou se precisaríamos de ajuda e se retirou após eu negar.
- Você dá nome de deuses olímpicos para todos os animais? - Harry perguntou, acariciando Héstia.
- Eu só tenho dois, Harry. Mas já tive dois peixes, Poseidon e Zeus.
- Estou repensando se quero ter um filho com você.
- Ah, mas eu já estava pensando na nossa pequena Atena.
- Não era Isabelle?
- Isabelle Atena Mikaelson Styles.
- Fora de cogitação.
- Nós somos esquisitos. Digo, eu ainda tenho 17 anos e você tem 19, mas nós planejamos um futuro distante. Nós não sabemos o que pode acontecer amanhã ou, sei lá, em cinco anos.
- Falar sobre nomes de bebê pode não ser para um futuro tão distante diante da sua última dúvida.
- Você pode, por favor, não falar sobre isso? Só por hoje.
- Com prazer. Estava pensando que a gente poderia jantar na minha casa nova. E dormir lá.
- Você nem almoçou ainda, por Deus! E não vamos jantar na sua nova casa, mas dormir lá é uma boa ideia.
- Onde vamos jantar?
- Não vamos. Estive pensando... poderíamos ir para Dover e...
- Vamos fazer um tour pela Inglaterra? Cambridge e Dover no mesmo dia?! Não mesmo.
- Tão reclamão meu amor. - falei com uma voz melosa e apertando as bochechas dele. - Então que tal irmos na Plox e depois para sua casa?
- O que é Plox?
- Uma boate que inaugura hoje.
- Hm, pode ser. Vemos isso depois.
Dei uma volta com Héstia e levei Harry ao restaurante do haras. Lá comemos sem pressa. Na hora de pagar, Harry pegou sua carteira e eu segurei sua mão.
- Hoje é por minha conta. - eu disse.
- Não vou deixar você pagar.
- Não seja tão machista, amor. Hoje eu pago.
- Não sou machista, mas a história sempre foi essa. Homens devem pagar.
- Você está certo. A história sempre foi essa. Homens pagam. - eu disse e ele sorriu, vitorioso. - Uma pena que, segundo a "história", as mulheres não transavam antes do casamento. Infelizmente eu não segui isso, mas sabe, acho que posso começar com isso agora.
- Tudo bem. Já estou na seca mesmo. Esperar até o casamento não vai ser nada demais.
- Que bom que você concorda. Hoje eu estava pensando em usar a lingerie que a Jenna me deu, mas não faz mais sentido. Acho que vou jogar fora.
Após alguns segundos, ele disse:
- Se você me deixar na seca hoje de novo, eu vou ficar muito irritado.
- Isso só depende de você, meu amor.
Paguei a conta e voltamos ao estábulo.
Levamos Héstia para o ar livre, onde insisti para Harry montar e ele reclamou até o último minuto, mas subiu. Foi simplesmente uma das coisas mais engraçadas que eu já vi na minha vida! A todo momento que ele se mexia, dizia que estava com a bunda doendo, e Héstia começava a se movimentar mais rápido, fazendo-o se queixar.
Ficamos lá até começar a escurecer e Harry reclamar que não queria pegar a estrada à noite.
- Essa é a maior prova de amor que eu já dei para alguém! Vou ficar com a bunda doendo até 2030! - meu amorzinho reclamou mais quando estávamos na estrada e eu só consegui rir.
- Eu prometo que vou compensar.
Ele sorriu malicioso.
- É bom mesmo.
O celular dele começou a tocar no meu bolso e eu peguei, lendo "Pai" na tela.
- É o Des.
- Atende aí e põe no viva, por favor.
Aceitei a chamada e coloquei no viva-voz.
- Pai?! - Harry falou.
- Harry, onde você se meteu?
- No fim do mundo, mais conhecido como Cambridge.
- E o que você está fazendo em Cambridge? A Melissa sabe disso?
- A Melissa sabe, isso foi coisa dela. Fomos num haras, mas já estamos voltando.
- Haras?! Tem haras em Cambridge? - Des perguntou, interessado.
- Como ela acha essas coisas, eu não sei.
- Eu não achei nenhum haras nessa região. Onde fica?
- Muito complicado para dizer agora.
- Oh, menino educado, viu?! - Des debochou. - Anne, isso aqui é filho seu! - brincou.
- Pai, só uma dúvida básica: o senhor se interessa por cavalos desde quando mesmo? - Harry parecia curioso.
- Desde que eu fui em um haras em Neath.
- É cada uma. Aposto como ficou com a bunda doendo.
- Que papo é esse? Homem não fica com a bunda doendo, não. Agora se a sua bunda tá doendo, sei não, hein. A Melissa sabe disso? - Des zoou o Harry e eu ri alto.
- Eu não mereço isso, viu! Pai, vou desligar porque eu estou dirigindo. Até mais tarde.
- Até.

[...]

- Vai logo, cacete! - gritei, batendo na porta do banheiro do Harry. Nunca vi mais moça!
Ele já havia entrado no banheiro há uma hora e eu aqui pronta esperando.
Desci as escadas novamente, com Apolo nos meus braços, e sentei no sofá ao lado do Louis, que assistia Truque de Mestre, com a Els, a Gemma e o Matthew.
- Esperando o Harry? - Els perguntou.
- Eu falei que ele era a moça da relação. - Louis falou.
- O Harry é o único cara que deixa uma Melissa esperando. - Zayn disse entrando na sala, vindo da cozinha.
- Adoro como as pessoas brotam nessa casa. - falei.
Ao invés de parecer uma pessoa normal e sentar decentemente no sofá, Zayn se jogou e deitou no nosso colo.
- Porra, Zayn! - Louis reclamou. - Você é magro, mas não é leve, não.
Com a cabeça no meu colo, Zayn virou e mordeu minha perna.
- Zayn! Isso doeu! - reclamei.
- Se o Harry pegar você mordendo a mina dele, cabeças vão rolar. - Matt falou, rindo.
- E que seja a sua, Zayn! - Els disse.
- Vocês me amam muito mesmo. - Zayn sorriu.
- Você é insuportáveeeeeel. - Gemma reclamou.
- Sempre foi. - Louis disse.
- Zayn, por que o seu rosto está tão próximo das pernas da minha namorada? - Harry perguntou, descendo às escadas.
- Eu troquei você por ele que não me deixou esperando. - falei.
- Tá bem, hein? Trocar o Harry moça pelo Zayn mulher? - Louis brincou.
- Sem querer parecer parcial, mas pense bem, Melissa, o Harry demorou duas horas para se arrumar, o Zayn demoraria a tarde inteira. - Gemma defendeu seu irmão.
- Só fala isso porque é seu irmão. - Zayn reclamou.
- Se fosse por ser meu irmão eu diria "fica com o Zayn, ele não é lindo?". - Gemma disse.
- Vamos, Mel, essas pessoas só querem criar discórdia no nosso relacionamento. - Harry disse, estendendo a mão para me ajudar.
- Zayn, licença. - falei e ele não se mexeu. - Vai, Zayn, sai. - falei e ele me mostrou a língua, levantando a cabeça.
Levantei e ele pegou meu lugar em segundos.
- O problema era a Melissa. - Matt disse.
Eu e Harry saímos e ao entrarmos no carro, ele disse:
- Você está linda.
- Eu sei. - sorri e ele riu.
- Seu salto é muito bonito.
- Qual é?! Fale das minhas pernas, do meu decote, da minha maquiagem, do meu cabelo, mas do meu salto?
- Temos que variar às vezes. Você já sabe que é suficientemente gostosa para elogios.
- O que um cara não fala por uma transa.
- Não é só por uma transa, você sabe que é linda. Não venha bancar a insegura agora, dez segundos atrás você estava segura até demais.
- Não está mais aqui quem falou. Você pretende fazer...
Não pude terminar minha frase, porque meu celular começou a tocar na minha bolsa. Peguei-o, li o nome da Qetsyiah e atendi.

LIGAÇÃO ON
Morangooooo. - ouvi sua voz animada, num lugar barulhento.
- Amoraaaa. - às vezes nos chamávamos assim, por frutas aleatórias. - Onde você tá, mulher? Que barulho é esse?
- Esperando dar o horário do voo para Tailândia.
- Coma muito por mim lá.
- E volte rolando.
- Não precisa voltar rolando, hoje em dia está tudo mais tecnológico, você pode projetar alguma coisa para te carregar.
- Claro, mas olha, eu posso arranjar algum tailandês e tudo fica ótimo?
- Qetsy, você sabe que amor de verão não sobe a serra.
- Estamos no inverno...
- Qetsy, você sabe que amor de inverno não... tem um provérbio para isso?
- É, acho que não. Tá fazendo o que?
- Indo para a Plox.
- Hm, inauguração, né? Muito da elite essa menina!
- Falou a Qetsyiah que está indo para a Tailândia.
- Tailandeses são bonitos?
- Não sei, devem ser com toda a aura asiática deles.
- Tomara que sejam, eu pretendo dar alguns perdidos nos meus pais.
- Que feio, dona Qetsyiah. Sua religião permite isso?
- O que a religião não vê, a religião não sente.
- Quando foi que você ficou assim? É a convivência com o Thomas?
- Não venha me falar de Thomas.
- Ok.
- E você e o Harry, bem?
- Sim, sim.
- E você já resolveu aquele assunto? - eu sabia que ela se referia ao papo da gravidez.
- Ainda não.
- Você precisa ver isso logo.
- Eu sei. Eu confesso que estou retardando por medo. Pretendo ver amanhã ou depois, não sei.
- Contou para o Harry?
- Sim.
- E ele?
- Caiu. Literalmente. Se eu não estivesse apreensiva, teria dado risada.
- É, deve ter sido engraçado. Sabe quando você quer ir para um lugar, mas ao mesmo tempo não quer?
- Não me diga que não quer ir para a Tailândia.
- Quero estar lá, não quero ir para lá.
- Você é esquisita, mas eu te entendo.
- Obrigada. Eu vou comer. Divirta-se.
- Obrigada. Boa viagem, tchau.
LIGAÇÃO OFF

Encerrei a chamada e guardei o celular.
- Qetsyiah?! - Harry perguntou.
- Sim.
- Ela está bem?
- Sim, no aeroporto esperando o voo para a Tailândia.
- Legal. Hoje eu vi um tweet de uma menina reclamando que depois que começamos a namorar, você abandonou as redes sociais e nem foto nossa posta mais.
- Sério? Que fofa.
Peguei meu celular e entrei no Twitter.

@Mel_Mikaelson: gente, desculpa se eu não entro mais!! É tudo culpa do Harry!!!!!

Fui até a câmera do meu celular e sorri para a foto, o Harry deu tchau com a mão. Postei a foto sem legenda.
Fomos o resto do caminho conversando coisas leves e, em sua maioria, fúteis.
A fachada do local era enorme, com um logotipo de um P amarelo acima da grande porta preta. Havia uma fila enorme, mas entramos sem passar por ela, graças à fama do Harry.
Entramos no lugar escuro com luzes de neon e roxo.
- Harry! Você aqui!

Queeeem será? Desculpem a demora :( e desculpem o capítulo ser um porre :(. Gostaram de Steal My Girl?? <3333

6 comentários:

  1. Aiii nem acredito que você postou!! Demorou d+, mas pelo tamanho do capítulo nós relevamos haha, quando acha que continua?? Posta o quanto antes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpaaaaaaa a demora :((((((( postei!!!!!!!!!!

      Excluir
  2. Eu escrevi um comentário gigantesco porem meu celular de corno na hr que foi publicar apagou TUDO! TO COM MUITA RAIVA! Odeio isso
    Enfim pelo o que eu me lembro vou colocar um resuminho do comentario gigantesco.
    O capítulo nao foi um porre como você falou. So em voce estar postando já é magnifico. E dele da pra saber que no proximo capitulo possivelmente tenha hot pq Harry na seca é igual a Harry tarado... so espero que essa pessoinha ai que falou com o Harry nao seja uma das inúmeras ex dele e que ele nao de corda pra o papinho dela, pq se nao vai acabar com a noite da Mel sem nem ela ter começado.
    Por estar rivosa por nao conseguir entrar na minha conta sem apagar o comentário eu irei postar no anônimo porem sou eu Lívia Monsores ( leitora fiel que tenta sempre comentar)
    Bjinhos Sara e até o próximo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei como é isso!!!!!!
      Obrigadaaaaaa!!!
      Postei o próximo :)
      Beeeeeeeijos

      Excluir