terça-feira, 2 de julho de 2013

Truly, Madly, Deeply - 9º Capítulo + Big, mas não tão big



I ωοηdεr.'s Photos | via Facebook 
Uma semana depois...

Ele sempre soube que precisou de um tempo para pensar depois do ocorrido. Louis havia tomado uma decisão que poderia mudar toda a sua vida. E, de fato, mudou. Ele nunca havia imaginado que precisava dela enquanto chorava. Ele sabia que se voltasse, ela nunca iria o perdoar. Mas ele queria muito saber como ela estava. Queria poder toca-la, abraça-la e... Beija-la. Os dias pereciam semanas enquanto ele estava sozinho. E o cheiro do perfume dela ficou em sua roupa. O quarto em que ela dormia parecia sozinho. E isso era tão torturante...

Quando ela se foi ele se perdeu. Queria podê-la ver e falar “Está vendo o quanto eu preciso de você agora?”. Mas isso... Já não era mais possível. 

“Quando você se vai os pedaços do meu coração sentem sua falta.”

[...]

A situação estava realmente difícil, ela não tinha tido nenhuma reação depois do acidente. E isso era preocupante. O médico estava preocupado, pelo tipo do acidente aquilo não deveria ser tão grave. Mas ele ainda tinha esperança.

[...]

- Vamos S/N, acorde. Ele está aqui.


- Ele está lhe esperando. Vamos, acorde.
 
- Ele está arrependido. Vamos lá, eu sei que você o quer de volta.

Ela tentava lutar contra aquilo, mas era impossível. Vozes ecoavam em sua cabeça falando de Louis e de quanto o que ele estava arrependido. Ela sabia que isso não era verdade. Ela não queria acordar. Foi por causa dele que ela estava assim. 

Diz-se, na medicina, que quando o paciente não quer algo, isto realmente não acontece. E era assim no caso da S/N. 

Ela necessitava dele. Precisava dele. Era como se o seu corpo o pedisse e aquilo era urgente. Mas ele já não estava mais lá. Ela sabia disso. Então... Pra quê acordar? Sua vida estava uma perfeita merda. Então por que continuar com isso? Por que não continuar dormindo se aquilo a fazia bem?

... Mas não fazia bem para todos.

[...]

 - S/A? - Ele perguntou assustado e dando um suspiro pesado.

- Não, sou eu.

- Lizzy. 

- Quem é S/A? 

- Uma... Amiga. - Ele falou medindo as palavras.

- Amiga. Tá.

- Para, Liz, você sabe que eu não gosto quando você começa a ter ataque de ciúmes.

- O que você quer, Lou? Eu te conheço faz uns 2 dias, e você me vem falar dessa S/A. Ah, por favor. - Lizzy ia sair, mas Louis a impediu. 

- Ei, você sabe que eu não te trairia. 

- Espero.

- Ahm, agora eu vou sair, pra esfriar a cabeça, tá?

- Posso ir com você?

- Acho melhor não, Liz.

- Ok. Volta quando?

- Não sei, vou passar uns dias em Londres, vou ver os dudes.

- Louis, você tá em Cambridge, por que quer ir pra Londres?

- Vou falar com os garotos.

- Mas você tá de férias.

- Não importa. Eles são minha família.


1 mês depois...


- Oi, S/N, faz um tempinho que eu te visito, né? Desculpa, eu ando muito ocupado. Mas não pense que eu esqueci você, tá? Continuo lembrando de você a cada segundo. Posso te contar uma coisa? Você não vai ficar chateada? O Louis veio há Londres, passou uma semana. Nós pedimos pra ele te visitar, mas ele disse que preferia ficar como está. Disse que se viesse as coisas só iriam piorar. Ele quer tentar uma vida nova. E... Sem você. Por que, S/A? Por que isso? Ele não falou de você, eu também não o obriguei, sei que deve ser difícil perder alguém. Mas... O que vocês conversaram? Se você pudesse me responder, olha, seria tão mais fácil. Vocês brigaram? Brigaram muito feio? O que aconteceu? Bem, eu sei que você não vai poder me responder, mas... É tão bom falar com você. Sabe, eu acho que ele te ama. Não aquele amor de amigo, amor de irmão, não, aquele tipo de amor, se é que você me entende. Sinto sua falta. - Liam sempre a visitava, não deixava aquele hábito nunca.

As primeiras semanas, de fato, foram as mais difíceis, eles ainda estavam se acostumando a não ter mais a presença dela ali, pertinho deles, mas eles tinham esperança. Já o médico... Não posso dizer a mesma coisa.

2 meses... Sem você

S/A... Era um nome que ele não ouvia faz um tempo. Mas que sempre estava na sua cabeça. Louis fazia de tudo, tudo mesmo para esquece-la, mas ele sabia que não era possível. Suas lembranças estavam cada vez mais presentes, mesmo ele não querendo. E no fundo, ele sabia, ela sempre ia ser o maior - e melhor - amor que ele já teve. Agora ele entendia isso.

3 meses depois...

- Oi S/A, acho que você deve estar me achando maluco por vir aqui duas vezes hoje, é porque hoje, me bateu aquela saudade das nossas conversas de antes, sabe? Meu aniversário já passou e você não estava lá, não foi a mesma coisa. Queria você lá, bagunçando meu cabelo, pulando em mim, e dizendo "Feliz aniversário, duende!" toda empolgada como você é. Queria você me abraçando, dizendo que um dia eu vou conquistar a Demi Lovato, eu sei que eu vou, mas você me fazia ter certeza. Ah, S/A, como você faz falta.

4 meses... Sem você

Faziam quatro meses. Ele não achava que ia durar tanto. Pode parecer estranho, mas ele contava cada dia depois daquele dia. Ele queria ter certeza de quanto tempo ela ia ficar em coma. Era estranho, ele sabia, mas era um hábito inevitável. Ele ainda tinha esperança. Pouca, mas tinha. E pelo que os meninos contaram, o médico já não tinha mais. Desprezível - Ele pensava. Se o próprio médico não tinha confiança em seu trabalho, como as outras pessoas poderiam ter? Realmente desprezível. Ele não sabia mais nada sobre ela. Sobre como ela estava. Mas de uma coisa ele sabia: Ela realmente fazia falta.

5 meses depois... 

- Ei, S/A, hoje nós decidimos fazer uma visita dupla. - Harry falou animado, mas não muito. - E não pense que é porque estávamos sem tempo, foi na verdade, porque estávamos brigando - sim, nós sabemos que você não gosta quando brigamos, mas shut up - pra ver quem viria hoje, e o Liam - sempre o Liam - não aguentou e nos empurrou aqui pra dentro e teve que ser assim.Tive que vir com esse mané...

- EI! Eu não sou um mané. - Zayn falou ofendido.

- Enfim, nós temos que ir agora, então... Desculpa. Sinto sua falta. - Harry falou e saiu do quarto.

Zayn se aproximou, beijou sua face, e sussurrou um "Eu te amo" baixinho. Coisa que ele sempre fazia.

6 meses... Sem você?

Pode parecer estranho, mas ele sempre soube que estava acompanhado dela. Por isso a interrogação no "Sem você". Seu aniversário era na manhã seguinte, mas ele sabia que não seria a mesma coisa sem ela. Foi aí, que, de fato, tomou a decisão mais importante de sua vida: Ele iria visitá-la. 

Suas "férias" já haviam acabado, então ele já havia voltado para casa fazia um tempo, 3 meses, para ser exata. Não mandou tirar as coisas dela da sua casa, mas ele nunca visitara o quarto em que ela dormia, por medo. Não medo dela, medo das lembranças.

No seu aniversário, Louis acordou cedo, e foi direto ao hospital onde ela estava. Aquele era um momento importante, bastante importante. Foi até a recepção, pegou a ficha, e se deparou com o número 26, o favorito dela, aquela era mais uma lembrança.

Respirou fundo. E entrou. Ao dar seu primeiro passo sentiu seus olhos arderem em lágrimas. Ela continuara a mesma, com seu rosto angelical, um pouco mais pálida, é verdade, e seus cabelos haviam crescido bastante, continuava levemente corada e com aquela boca cor de sangue (sem exageros, claro). 

Aproximou-se mais e então, teve a visão completa. Seus olhos estavam marejados, ele não sabia se isso era possível, mas ela estava chorando. Louis sentou-se e encarou-a por alguns segundos, pegou a sua mão, e depois começou a colocar seus sentimentos para fora.

- Ahm... Oi. Faz tempo que eu não te vejo, mas você continua a mesma. Provavelmente você ainda me odeia, o que é bem diferente do que eu sinto. Esses 6 meses pra mim foram muito difíceis, sabe? Foram 6 meses sem uma parte de mim, sabe o quanto isso dói? Sim, é claro que você sabe. Na verdade, eu tentei te esquecer, mas... Não deu, você ficou tão marcada em mim como uma tatuagem. Fiquei com muitas mulheres, mas nem uma delas era, ou vai ser, como você. Nenhuma me deixou tão feliz a ponto de te esquecer. Na verdade, S/A, eu não conseguiria de forma alguma te esquecer, porque você faz parte de mim. Nesses 6 meses eu pude ter uma certeza, uma certeza que eu demorei muito pra ter, o que foi errado, pois eu deveria ter a tido antes, quando você estava aqui. Eu pude ter a certeza de que eu te amo, S/N. E sinto sua falta.

Ele sentiu alguma coisa na sua mão, a apertando, foi aí que percebeu que...


“Eu preciso de você”

Olá! Dessa vez eu atualizei, ok? Haha. Enfim, não tinha feito isso antes por pura preguiça, me desculpem, mas... Essa é Hévilla Daynara. Ansiosas pra Best Song Ever? Eu estou, muito. Ah, e antes que perguntem, não, eu não vou no show. E não quero entrar em detalhes. Tenho Lovatics aqui? Cara, como eu tô ansiosa pra Made In The USA. Vocês nem imaginam. Essa capítulo foi um pouco forte, né? Mas enfim, continuo com 4 comentários :)

12 comentários:

  1. Chorei litros aqui! Acho que alaguei meu quarto aqui! Tá chovendo muito aqui e vc faz um capítulo desse! Quer me matar de depressão!? Enfim continua por favor... E sua fic é muito perfeita sim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, que linda *-* Faz bastante tempo que eu postei, então vou ver se posto esse capítulo ainda hoje :)

      Excluir
  2. Acho q qm vai entrar em coma sou eu, pq né... Meu Deus, tá cada vez mais perfeito!!! Concordo com a Lívia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você entrar em coma eu entro junto ;)

      Excluir
  3. OMJ!
    Vc ainda me mata do coração! Vc sempre para na melhor parte!
    A fic ta perfect
    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um dom que Deus me deu. Haha. Thanks :)

      Excluir
  4. Sua fic é super perfeita!!! Vc é mto boa nisso!!
    Pf continua logo, to quase tendo um heart attack!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, thanks, baby. Vou continuar sim. E vê se não morre pra ler o próximo capítulo :)

      Excluir
  5. Pfffffft continua logo, to mtoooo curiosa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, amor, desculpa pela demora, vou continuar sim :)

      Excluir
  6. Nossa eu to morrendo aqui...
    Q tragico a sua fic... Kk mas ta muito perfeita..
    Pf pf pf continuaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que a primeira coisa em que eu pensei foi no Sr. Omar de Todo Mundo Odeia o Chris? Haha. "Trágico, trágico". Valeu, baby. Já continuei ;)

      Excluir